Representantes Desportivos – Comunicado

Caros sócios,

De acordo com os nossos estatutos e regulamento geral interno:

ARTIGO 3º

(Sede, Delegações e Representantes)

(…)

3- A APMA, APD poderá nomear Representantes para circunstâncias convenientes aos propósitos da mesma.

3.1- Compete a APMA, APD emitir uma credencial para este efeito com a identificação dos Representantes bem como o seu âmbito e duração.”

No nosso comunicado relativamente à Directiva 6/2017 assumimos o seguinte compromisso:

“iii – Elaborar uma plano de formação para elaboração de actividades dentro do âmbito definido na directiva 6/2017.”

Assim sendo vem a Direcção abrir inicialmente 10 vagas para curso a este cargo nos distritos de Lisboa e Porto. Posteriormente irão abrir para os restantes distritos.

O conteúdo será a organização de eventos segundo os nossos regulamentos, de segurança individual e segurança de recintos, bem como o RJAM e a Directiva 6/2017 no âmbito de organização de actividades com recurso a RAFPR.

Após esta formação concluída com aproveitamento, terão competências para representar a nossa associação em actividades organizadas com recurso a RAFPR, vulgo eventos de airsoft, dentro do distrito de abrangência.

O certificado que atesta estas competências, responsabilidades e o respectivo cargo de Representante Desportivo terá a validade de 365 dias podendo ser renovável e/ou caçado.

Sendo um cargo da nossa associação, só será permitido a sócios com todas as quotas em dia.
Se não és sócio, inscreve-te AQUI.

Para te candidatares a cargo de Representante Desportivo APMA no teu Distrito, clica em baixo.

AQUI

 

A Direcção da nossa Associação.

Directiva 6/2017 – Comunicado APMA

Caros sócios e praticantes de airsoft.

Relativamente à directiva 6/2017 publicada no passado dia 30-06-2017 em diário da República cabe-nos clarificar que:
i – A nossa associação não teve conhecimento da elaboração do texto da respectiva directiva.
ii – Sempre nos manifestámos contra esta interpretação no que concerne às legitimidades organizativas de actividades de airsoft.
iii – Não fomos convocados para nenhuma reunião, nem nos foi pedido qualquer tipo de parecer acerca do seu conteúdo.
iv – Sempre manifestámos a vontade e disponibilidade em contribuir para a melhoria da nossa actividade perante a PSP.

Face ao acima exposto cabe-nos declinar qualquer tipo de responsabilidade nesta matéria, uma vez que não tomámos partido na mesma, sendo de todo impossível prever este desfecho a quem não detém assento na instituição PSP.
Assim cabe-nos a responsabilidade de garantir que temos a intenção de mostrar o nosso desagrado face à falta de reconhecimento da nossa associação enquanto representante dos seus sócios, perante a instituição PSP.
Iremos de igual modo manifestar a nossa discordância em relação à elaboração da directiva 6/2017.

Com a necessidade de colmatar as necessidades que esta directiva impõe iremos o quanto antes:
i – Informar os nossos sócios organizadores de eventos como devem proceder.
ii – Garantir dentro dos possíveis que todas as actividades de possam realizar dentro do estabelecido.
iii – Elaborar uma plano de formação para elaboração de actividades dentro do âmbito definido na directiva 6/2017.

Não obstante, e porque não concordamos com a forma como foi conduzido este processo que deu origem à directiva e aos constantes atropelos à legitimidade da nossa associação ter uma opinião prévia na matéria:
i – Iremos iniciar trabalhos para contestar a directiva 6/2017.
ii – Iremos contribuir para uma proposta de alteração da lei das armas que responda às nossas necessidades e respeite o nosso direito a praticar a nossa actividade desportiva com dignidade.

Face à adversidade pedimos serenidade e união.
Podem contar connosco.

A Direcção da vossa Associação.